Dartagnan Pinto Guedes

Facebook Logo Linkedin Logo Twitter Logo Youtube Logo

Publicações

Motivação: Educação Física, Exercício Físico e Esporte
Londrina: Editora UNOPAR, 2016 – E-book

Dartagnan Pinto Guedes / Jurandir da Silva Mota

Esta publicação foi idealizada com vistas a reunir informações sobre os motivos e a motivação para as aulas de educação física e a prática de exercício físico e esporte. Seu conteúdo está organizado em três partes. Na parte I são abordadas aproximações conceituais que facultam entender os componentes vinculados aos motivos e à motivação direcionados especificamente para as aulas de educação física, a prática de exercício físico e esporte. Na sequência, na parte II, são reunidos e discutidos instrumentos de medida mais frequentemente utilizados na monitoração dos motivos e dos perfis de motivação voltados às aulas de educação física e à pratica de exercício físico e esporte. Na parte III são compilados dados disponibilizados na literatura nacional e internacional relacionados aos motivos e ao perfil de motivação de escolares para as aulas de educação física e de praticantes de exercício físico e esporte, com intuito de identificar e analisar seus principais determinantes. A expectativa é que a publicação possa oferecer importantes informações sobre os indicadores motivacionais relacionados à adesão para as aulas de educação física no ensino básico e para a prática de exercício físico e esporte, o que poderá contribuir, de forma significativa, para ampliação de novos conhecimentos na área, tornando-se, por sua vez, em uma nova opção no auxílio de futuros estudos sobre o tema, além de auxiliar em ações de intervenção no contexto escolar e no âmbito de prática de exercício físico e esporte.

Sumário:

Parte I –

Aproximações para estudo da motivação direcionada às aulas de educação física e à prática de exercício físico e esporte

  • Motivos versus motivação
  • Motivação intrínseca e extrínseca
  • Modelos teóricos associados à motivação
    • Teoria das metas de realização
    • Teoria da autodeterminação
      • Teoria das necessidades básicas
      • Teoria da avaliação cognitiva
      • Teoria das orientações de causalidade
      • Teoria da integração organísmica
  • Integração da teoria das metas de realização e da teoria da autodeterminação

Parte 2 –

Instrumentos de medida utilizados na monitoração dos motivos e das motivações para aulas de educação física e prática de exercício físico e esporte

  • Recomendações para tradução e validação de questionários
  • Questionário para identificar o perfil de motivação para as aulas de educação física
  • Questionário para identificar os motivos para a prática de exercício físico
  • Questionário para identificar o perfil de motivação para a prática de exercício físico
  • Questionário para identificar os motivos para a prática de esporte
  • Questionário para identificar o perfil de motivação para a prática de esporte

Parte 3 –

Motivos e perfil de motivação para as aulas de educação física e a prática de exercício físico e esporte

  • Perfil de motivação de escolares do ensino básico para as aulas de educação física
  • Motivos de universitários para a prática de exercício físico
  • Perfil de motivação de usuários de Centros de Fitness para a prática de exercício físico
  • Motivos de atletas jovens para a prática de esporte
  • Perfil de motivação de atletas jovens para a prática de esporte

Burnout em Atletas Jovens
Londrina: MidioGraf, 2015 – E-book

Dartagnan Pinto Guedes / Rafael Octaviano de Souza

Existem diversas razões e justificativas para que os atletas jovens venham a diminuir seu interesse pela prática de esporte e, em alguns casos, a abandoná-lo precocemente. Mais recentemente, tem-se procurado apresentar novo fenômeno, conhecido na literatura internacional como burnout no contexto esportivo, que pode contribuir sobremaneira para entender a relação do atleta com o esporte.

Em síntese, burnout no contexto esportivo refere-se a uma síndrome multidimensional, ocasionada por complexa interação entre múltiplos fatores de demandas intensas, recuperação inadequada e frustrações de expectativas não cumpridas em que, por consequência, o atleta perde a motivação, o prazer, a satisfação e o interesse pela prática de esporte, vindo a apresentar percepção e atitudes de que o esforço físico e mental solicitado nos treinos e nas competições não compensa os benefícios eventualmente acumulados.

Mesmo considerando a importância de intervenções direcionadas à prevenção e ao controle de burnout para saúde psicológica e bem-estar dos atletas, no Brasil tem sido objeto de raras discussões na literatura vinculada ao esporte. Neste sentido, o conteúdo desta publicação esta organizado em duas partes: Parte I: compilação de informações disponíveis na literatura quanto aos conceitos e definições, aos modelos explicativos, às causas e consequências, às ações de intervenção e controle, à interface com motivação, aos instrumentos de análise e aos resultados de estudos já realizados referentes ao burnout em atletas jovens; e parte II: apresentação de resultados de levantamento referente à presença de burnout em amostra de atletas jovens do Estado do Paraná, com intuito de identificar seus determinantes e compreender possíveis associações com indicadores relacionados ao histórico de treino.

SUMÁRIO:

Parte I – Burnout no contexto do esporte: aproximações para estudo em atletas jovens

  • Evolução histórica do conceito de burnout
  • Distinção entre burnout e conceitos relacionados
  • Modelos explicativos associadas ao burnout
  • Causas e consequências de burnout em atletas jovens
  • Ações de prevenção e controle de burnout
  • Interface entre burnout e motivação
  • Instrumentos de medida empregados para identificar burnout em atletas
  • Estudos disponibilizados na literatura referentes ao burnout em atletas jovens

Parte II – Burnout e fatores associados: estudo realizado em atletas jovens do Estado do Paraná

  • Delineamento do estudo
  • Propriedades psicométricas do ABQ para uso em atletas jovens
  • Componentes de burnout em atletas jovens do Estado do Paraná
  • Associação entre ocorrência de burnout e histórico de treino

 

Livro Burnout Profissionais

Burnout em Profissionais de Educação Física
Curitiba: Editora CRV, 2014. 106p

Dartagnan Pinto Guedes / Eron José Gaspar

Esta publicação foi preparada com vistas a reunir informações quanto ao estresse laboral crônico, o que se denomina de burnout, que possa servir de embasamento necessário a melhor compreensão de tão importante tema relacionado à saúde e à produtividade dos trabalhadores de diferentes segmentos profissionais.

Especificamente no campo da educação física, o universo laboral de seus profissionais contempla atividades de ensino desde os anos iniciais de escolarização até treino/direção de equipes de esporte de alto rendimento, passando por serviços de prescrição e acompanhamento de exercício físico direcionado à promoção da saúde, à prevenção e ao controle de doenças, o que define essa classe profissional como sendo de elevada vulnerabilidade para burnout.

O conteúdo da publicação procura atender dois objetivos principais: (a) compilar informações disponíveis na literatura quanto ao conceito, à classificação, às concepções teóricas, à predisposição, à prevenção, às consequências e aos instrumentos para análise de burnout; e (b) apresentar resultados de levantamento referente à presença de burnout em amostra de profissionais de educação física, com intuito de identificar seus determinantes e compreender possíveis associações com indicadores demográficos, características laborais e estilo de vida.

SUMÁRIO:

  • O profissional de educação física
  • Processo de burnout
  • Burnout e estresse: semelhanças e diferenças
  • Concepções teóricas associadas ao burnout
  • Predisposição ao burnout
  • Consequências de burnout
  • Prevenção e controle de burnout
  • Instrumentos para análise de burnout
  • Burnout em profissionais de saúde e educação
  • Burnout e comportamentos de risco e proteção para saúde: um estudo epidemiológico em profissionais de educação física
  • Indicadores demográficos e características laborais de profissionais de educação física da Região Metropolitana de Londrina, Paraná
  • Comportamentos de risco e proteção para saúde de profissionais de educação física da Região Metropolitana de Londrina, Paraná
  • Burnout em profissionais de educação física da Região Metropolitana de Londrina, Paraná

 

Livro Avaliação

Manual Prático para Avaliação em Educação Física
1a. ed. Barueri. São Paulo: Editora Manole, 2006. 484p .

Dartagnan Pinto Guedes / Joana Elisabete Ribeiro Pinto Guedes

Avaliação de atributos relacionados à prática de atividade física tem sido preocupação constante dos profissionais da educação física. E esse interesse se justifica, pois avaliar indicadores biológicos, comportamentais e socioculturais que apresentam relação direta ou indireta com a realização de esforço físico constitui tarefa cuja importância é comparável à complexidade, à diversidade e à dificuldade que lhes são inerentes. Os profissionais de educação física, no desempenho de suas funções, precisam tomar inúmeras decisões sobre prescrição e orientação da prática de exercício físico; contudo, decidir o que e como avaliar exige habilidades e conhecimentos específicos cada vez mais complexos.

A avaliação, os procedimentos e os recursos utilizados na área da educação física vêm se modificando extraordinariamente sob influência do desenvolvimento científico e tecnológico observado nesse campo, que, por sua vez, é muitas vezes determinado por diferentes tendências acadêmicas e profissionais.

Esta obra foi preparada com o objetivo de atender a duas necessidades principais: reunir informações disponíveis na literatura especializada sobre a avaliação de atributos relacionados à prática de atividade física que possam servir de embasamento necessário à melhor compreensão de tão importante tema ligado ao campo da educação física; e apresentar situações práticas relacionadas à análise e à interpretação adequadas de informações obtidas mediante a utilização de instrumentos de medidas apropriados para a avaliação de atributos de interesse para a educação física.

O seu conteúdo está estruturado em onze capítulos, cada um dos quais abordando um elemento específico de interesse do profissional da educação física, revelando os fundamentos que o norteiam e sua importância para a prática do exercício físico, as pautas de seleção dos instrumentos de medida, os protocolos e a padronização de medidas disponíveis para a coleta dos dados e as abordagens quanto à análise e à interpretação das informações reunidas.

Durante o processo de desenvolvimento do livro procuramos preparar o material mais significativo e útil possível. Nossa expectativa, pois, é de que este manual venha a constituir-se como importante recurso de consulta. Em um primeiro momento, nossa intenção foi preparar e dirigir um material de consulta imediata que pudesse servir aos colegas profissionais que prestam serviços relacionados à avaliação e à prescrição de exercícios físicos. No entanto, acreditamos que, por causa da quantidade de informações com características acadêmicas nele contidas, este estudo possa também se apresentar como opção de texto de referência aos cursos universitários de formação profissional no campo da educação física.

Sumário:

Capítulo 1 ― Aspectos relacionados à qualidade das informações

  • Testar, medir e avaliar
  • Validade
    • Validade lógica
    • Validade concorrente
    • Validade preditiva
  • Erros de medida
    • Exatidão e precisão
    • Cálculo dos índices de reprodutibilidade
  • Valores de referência
    • Avaliação referenciada por norma
    • Avaliação referenciada por critérios
  • Delineamento dos programas de avaliação
    • Finalidades dos programas de avaliação
    • Definição dos atributos a serem avaliados
    • Determinação dos referenciais de análise
    • Seleção e escolha dos instrumentos de medida
    • Aplicação e administração dos instrumentos de medida
    • Análise das informações
    • Disseminação dos resultados aos avaliados

Capítulo 2 ― Avaliação do crescimento físico

  • Recursos utilizados na avaliação do crescimento físico
  • Padronização das medidas antropométricas
    • Estatura
    • Altura tronco-cefálica
    • Peso corporal
    • Diâmetros ósseos
    • Comprimentos
    • Perímetros
    • Espessuras de dobras cutâneas
  • Análise das medidas antropométricas
  • Uso de referenciais normativos

Capítulo 3 ― Avaliação da maturação biológica

  • Idade cronológica versus idade biológica
  • Recursos utilizados para estimativa da idade biológica
    • Maturação dental
    • Maturação óssea
    • Maturação sexual
    • Maturação morfológica

Capítulo 4 ― Avaliação do desempenho motor

  • Modelos de classificação das capacidades motoras
  • Testes motores
    • Testes motores que envolvem resistência cardiorrespiratória
    • Testes motores que envolvem força/resistência muscular
    • Testes motores que envolvem flexibilidade
    • Testes motores que envolvem velocidade
    • Testes motores que envolvem potência
    • Testes motores que envolvem agilidade
    • Testes motores que envolvem coordenação
  • Bateria de testes motores
  • Padronização dos testes motores
    • Caminhada/corrida de longa distância
    • Caminhada/corrida de “vai-e-vem”
    • Abdominal
    • Abdominal “modificado”
    • Puxada em suspensão na barra
    • Suspensão na barra
    • Puxada em suspensão na barra, “modificado”
    • Flexão/extensão dos braços frente ao solo
    • “Sentar-e-alcançar”
    • “Sentar-e-alcançar” alternado
    • Mobilidade de ombros
    • Elevação do tronco
    • Corrida de 50 metros
    • Corrida de 10 x 5 metros
    • Batimento de placas
    • Salto em distância “parado”
    • Corrida de “ida-e-volta”
    • Posição flamingo
  • Análise dos resultados dos testes motores

Capítulo 5 ― Avaliação da proporcionalidade corporal

  • Índices corporais
    • Índices de medidas do tronco
    • Índices de medidas dos membros
    • Interpretação dos índices corporais
  • Estratégia Phantom
    • Índice “z”
    • Interpretação do índice “z"

Capítulo 6 ― Avaliação do somatótipo

  • Correntes biotipológicas
  • Surgimento e evolução do somatótipo
  • Método antropométrico de Heath-Carter
    • Protocolo das medidas antropométricas
    • Cálculo dos componentes somatotipológicos
    • Categoria do somatótipo
    • Representação gráfica do somatótipo
    • Análise do somatótipo

Capítulo 7 ― Avaliação da composição corporal

  • Modelos de análise
    • Nível atômico
    • Nível molecular
    • Nível celular
    • Nível tecidual dos sistemas
    • Nível de corpo inteiro
  • Fracionamento do peso corporal
    • Componente de gordura
    • Componente não-gorduroso
    • Técnicas de medida da composição corporal
  • Procedimentos de medidas indiretas
    • Hidrometria
    • Espectrometria de raios-gama
    • Ativação de nêutrons
    • Excreção de creatinina
    • Radiologia convencional
    • Ultra-sonografia
    • Tomografia axial computadorizada
    • Ressonância nuclear magnética
    • Absortometria radiológica de dupla energia
    • Pesagem hidrostática
    • Pletismografia
  • Procedimentos de medidas duplamente indiretas
    • Condutividade elétrica corporal total
    • Interactância de raios infravermelhos
    • Bioimpedância elétrica
    • Antropometria
  • Equações preditivas com medidas antropométricas
  • Abordagem multicompartimental da composição corporal
  • Implicações na avaliação da composição corporal em jovens
    • Pesagem hidrostática
    • Hidrometria
    • Espectrometria de raios-gama
    • Bioimpedância elétrica
    • Espessuras de dobras cutâneas
  • Peso corporal esperado

Capítulo 8 ― Avaliação da atividade física habitual

  • Dispêndio energético
    • Efeito térmico dos alimentos
    • Termogênese facultativa
    • Metabolismo basal
    • Metabolismo voluntário
  • Estimativas do dispêndio energético
  • Técnica de medida da atividade física
    • Observação direta
    • Questionário e entrevista
    • Registro recordatório
    • Monitoração mecânica e eletrônica

Capítulo 9 ― Avaliação do estado nutricional

  • Alimentos e nutrientes
    • Nutrientes energéticos
    • Nutrientes construtores
    • Nutrientes reguladores
  • Equivalente energético dos alimentos
  • Recomendações de suprimento energético
    • Valor calórico total
    • Distribuição de macronutrientes
  • Inquéritos alimentares
    • Registro dietético
    • Questionário de freqüência alimentar
  • Equilíbrio energético
  • Antropometria nutricional
    • Crescimento físico
    • Áreas de músculo e de gordura

Capítulo 10 ― Avaliação de aspectos funcionais: sistema de mobilização energética

  • Considerações sobre bioenergética
    • Sistema fosfágeno
    • Sistema ácido-lático
    • Sistema oxidativo
    • Integração entre os sistemas de produção de energia
  • Recursos empregados na avaliação dos sistemas de produção de energia
    • Testes ergométricos
    • Testes de campo
  • Bases metodológicas dos testes ergométricos
    • Condições para realização dos testes ergométricos
    • Freqüência cardíaca
    • Pressão arterial
    • Duplo produto
    • Percepção subjetiva de esforço
  • Consumo máximo de oxigênio
    • Ergoespirometria
    • Valores preditos
    • Protocolo de testes de carga máxima
      • Protocolo de banco ― Nagle/Balke
      • Protocolo de cicloergômetro ― Astrand
      • Protocolo de cicloergômetro ― Balke
      • Protocolo de cicloergômetro ― Mellerowicz
      • Protocolo de cicloergômetro ― Jones
      • Protocolo de esteira rolante ― Bruce
      • Protocolo de esteira rolante ― Ellestad
      • Protocolo de esteira rolante ― Naughton
      • Protocolo de esteira rolante ― Balke
    • Protocolo de testes de carga submáxima
      • Protocolo de banco ― Astrand-Ryhming
      • Protocolo de banco ― McArdle
      • Protocolo de cicloergômetro ― Fox
      • Protocolo de cicloergômetro ― Astrand-Ryhming
      • Protocolo de cicloergômetro YMCA
      • Protocolo de cicloergômetro ― ACSM
      • Protocolo de cicloergômetro ― PWC-170
      • Protocolo de esteira rolante ― carga única
      • Protocolo de esteira rolante ― múltiplas cargas
    • Protocolo de testes de campo
      • Corrida de 15 minutos
      • Caminhada/corrida de 12 minutos
      • Corrida de 2400 metros
      • Corrida de 1600 metros
      • Corrida de 1000 metros
      • Caminhada de 1600 metros
      • Teste de “vai-e-vem” ― Course Navette
    • Análise dos valores do VO2máx.
    • Limiar anaeróbio
      • Recursos de lactacidemia
      • Alterações ventilatórias
      • Frequência cardíaca
    • Teste de esforço anaeróbio
      • Teste de degraus ― Margaria-Kalamen
      • Teste Wingate
      • Teste de salto ― Bosco
      • Teste em esteira rolante
      • Teste em cicloergômetro

    Capítulo 11 ― Avaliação de aspectos funcionais: sistema músculo-articular

    • Implicações fisiológicas relacionadas ao sistema músculo-articular
      • Fatores determinantes da força muscular
      • Fatores determinantes da flexibilidade
      • Classificação da força
      • Componentes da flexibilidade
    • Recursos empregados na avaliação da força/resistência muscular
      • Força estática
        • Preensão manual
        • Tração de pernas
        • Análise das informações
      • Força dinâmica
        • Teste de carga máxima
        • Teste de carga por repetição máxima
        • Análise das informações
      • Força isocinética
    • Recursos empregados na avaliação da flexibilidade
      • Medidas angulares
      • Medidas lineares
      • Medidas adimensionais

     

Livro Avaliação

Controle do Peso Corporal: Composição Corporal, Atividade Física e Nutrição
Rio de Janeiro: Shape Editora, 2003. 327p

Dartagnan Pinto Guedes / Joana Elisabete Ribeiro Pinto Guedes

O controle do peso corporal constitui importante preocupação para sociedade atual. Estudos recentes apontam que, de cada três adultos, um apresenta sobrepeso ou é considerado obeso. Obviamente, esse número não vem aumentando nos últimos tempos porque se está, de maneira consciente, procurando ganhar peso corporal. Pelo contrário, proporção significativa da população vem tentando manter o peso corporal nos limites desejáveis, seja com finalidades estéticas ou com objetivo de preservar a saúde.

Paradoxalmente, ao mesmo tempo em que a prevalência de sobrepeso e obesidade aumenta, mais se procura programas de controle do peso corporal. A falta de informações tem levado muitas pessoas a se deixarem enganar por produtos e métodos inovadores que prometem emagrecimento rápido, acompanhado por facilidades bastante convidativas e, por vezes, assegurando vantagens à saúde sem o equivalente respaldo do conhecimento científico.

Quanto mais se intensifica a indústria do controle do peso corporal, com a comercialização de produtos como “pílulas para emagrecimento”, adoçantes artificiais, bebidas e alimentos dietéticos, livros e publicações sobre dietas e exercício físico de efeito imediato, além de serviços como massagens para “queimar gordura”, ginástica sem esforço”, etc., menor quantidade de pessoas tem conseguido reduzir o peso corporal para níveis esperados; e, aqueles que conseguem, não os mantém por mais que algumas semanas. Desde que se continue a optar por assumir estilo de vida onde prevaleçam modelos de hábitos alimentares de elevado aporte calórico e de exercitar-se de maneira insuficiente, o combate ao excesso de peso corporal não deverá se tornar tarefa fácil.

O livro se propõe a expor, de maneira clara e concisa, as causas e as consequências do excesso de gordura e de peso corporal, os aspectos associados à orientação dietética e à prescrição de exercício físico voltados à prevenção e à reabilitação do sobrepeso e da obesidade, e os princípios que procuram nortear o processo de reeducação alimentar e de modificação dos hábitos de prática de atividade física necessários à elaboração e ao acompanhamento dos programas de controle do peso corporal direcionados à redução efetiva e permanente de peso corporal.

Sumário:

Capítulo 1 – Sobrepeso e obesidade

  • Sobrepeso versus obesidade
  • Tipos de obesidade
  • Prevalência de sobrepeso e obesidade
  • Riscos para saúde associados ao sobrepeso e à obesidade
  • Importância da distribuição anatômica da gordura corporal
  • Influência de aspectos genéticos e do ambiente

Capítulo 2 – Equilíbrio energético e controle do peso corporal

  • Equação de equilíbrio energético
  • Suprimento energético
  • Estimativas de ingestão alimentar
  • Demanda energética
  • Estimativas de demanda energética

Capítulo 3 – Composição corporal: princípios, técnicas e aplicações

  • Modelos de análise
  • Fracionamento do peso corporal
  • Técnicas de medida da composição corporal
  • Abordagem multicompartimental da composição corporal

Capítulo 4 – Estrutura dos programas de controle do peso corporal

  • Benefícios da redução do peso corporal
  • Recursos utilizados nos programas de controle do peso corporal
  • Orientação dietética
  • Prática de atividade física
  • Princípios norteadores dos programas de controle do peso corporal
  • Intervenções farmacológicas
  • Métodos cirúrgicos

Capítulo 5 – Aspectos associados à orientação dietética

  • Sensação de fome e de saciedade
  • Alimentos e nutrientes
  • Nutrientes para a produção de energia
  • Proposição e acompanhamento de dietas

Capítulo 6 – Aspectos associados à prática de atividade física

  • Produção de energia para o trabalho muscular
  • Utilização dos substratos energéticos durante a realização de esforço físico
  • Avaliação para prescrição e orientação de exercício físico
  • Princípios biológicos do exercício físico
  • Componentes do exercício físico
  • Exercício físico para o controle do peso corporal
  • Estruturação das rotinas de exercício físico
  • Custo energético dos esforços aeróbios

Capítulo 7 – Controle do peso corporal em populações jovens

  • Prevalência de sobrepeso e obesidade em populações jovens
  • Fatores comportamentais associados ao excesso de gordura e peso corporal
  • Períodos críticos no desenvolvimento da adiposidade
  • Riscos do excesso de peso corporal para a saúde dos jovens
  • Implicações na avaliação da composição corporal em jovens
  • Proposição de programas de controle do peso corporal em jovens

 

Livro Avaliação

Crescimento, Composição Corporal e Desempenho Motor de Crianças e Adolescentes
São Paulo: CLR Balieiro, 1997. 362p

Dartagnan Pinto Guedes / Joana Elisabete Ribeiro Pinto Guedes

O livro foi escrito para atender dois objetivos principais: (a) reunir informações disponibilizadas na literatura quanto ao trinômio crescimento físico, composição corporal e desempenho motor que possa servir de embasamento necessário a melhor compreensão de tão importante tela para a prática do profissional de educação física; e (b) analisar o comportamento de indicadores que possam evidenciar as características de crescimento físico, composição corporal e desempenho motor em integrantes da população jovem da cidade de Londrina, localizada no interior do estado do Paraná, Brasil, procurando estabelecer um paralelo com informações existentes na literatura sobre este assunto.

O seu conteúdo está dividido em duas partes: Parte I – Aspectos de Fundamentação Básica, com nove capítulos, e Parte II – Estudo Descritivo, com seus capítulos. Na primeira parte procurou-se abordar, sinteticamente, as implicações e as concepções voltadas ao tema central do livro: crescimento físico, composição corporal e desempenho motor. A segunda parte é, na verdade, a apresentação e a discussão dos resultados encontrados em estudo de caráter descritivo com características populacionais, envolvendo jovens de uma comunidade específica do final da década de 1980.

Sumário:

Parte I – Aspectos de Fundamentação

Capítulo 1 – Importância de estudos sobre o crescimento físico, a composição corporal e o desempenho motor em crianças e adolescentes

  • Monitoração do crescimento físico na promoção da saúde
  • Composição corporal na determinação do índice de adiposidade
  • Desempenho motor e a prática de atividade física
  • Importância e necessidade de levantamentos populacionais
  • Proposição e utilização de indicadores referenciais

Capítulo 2 – Implicações no estudo do crescimento físico e do desenvolvimento de crianças e adolescentes

  • Crescimento, desenvolvimento, maturação e experiência
  • Delineamentos dos estudos
  • Amostragens
  • Curvas de distância e velocidade
  • Escores brutos e derivados
  • Valores de referência
  • Erros de medida

Capítulo 3 – Crescimento e desenvolvimento dos tecidos e dos sistemas orgânicos

  • Tecido ósseo
  • Tecido muscular
  • Tecido adiposo
  • Sistema endócrino
  • Sistema cardiovascular e respiratório

Capítulo 4 – Recursos utilizados no estudo do crescimento e da composição corporal

  • Técnica antropométrica
  • Métodos laboratoriais
  • Espessuras de dobras cutâneas
  • Utilização de equações preditivas

Capítulo 5 – Recursos utilizados no estudo do desempenho motor

  • Classificação das capacidades motoras
  • Testes motores
  • Testes motores que envolvem resistência cardiorrespiratória
  • Testes motores que envolvem força/resistência muscular
  • Testes motores que envolvem flexibilidade
  • Testes motores que envolvem velocidade
  • Testes motores que envolvem potência
  • Testes motores que envolvem agilidade
  • Testes motores que envolvem coordenação
  • Reprodutibilidade dos resultados de testes motores
  • Bateria de testes motores

Capítulo 6 – Influência da maturação biológica

  • Recursos utilizados na determinação da maturação biológica
  • Variáveis relacionadas ao crescimento físico
  • Variáveis relacionadas à composição corporal
  • Variáveis relacionadas ao desempenho motor

Capítulo 7 – Influência dos aspectos genéticos e do meio ambiente

  • Variáveis relacionadas ao crescimento físico
  • Variáveis relacionadas à composição corporal
  • Variáveis relacionadas ao desempenho motor

Capítulo 8 – Associação entre prática de atividade física e aspectos morfológicos e funcionais

  • Atividade física e crescimento físico
  • Atividade física e composição corporal
  • Atividade física e aspectos funcionais
  • Programas de educação física escolar
  • Níveis de prática habitual de atividade física

Capítulo 9 – Estudos populacionais envolvendo variáveis de crescimento físico, composição corporal e desempenho motor

  • Estudos realizados em outros países
  • Estudos realizados no Brasil

Parte II – Estudo Descritivo

Capítulo 10 – Aspectos metodológicos

  • Características da população estudada
  • Seleção da amostra
  • Coleta dos dados
  • Variáveis do estudo
  • Qualidade dos dados

Capítulo 11 – Curvas de distância em relação ao sexo e à idade

  • Variáveis de crescimento físico
  • Variáveis de composição corporal
  • Variáveis de desempenho motor

Capítulo 12 – Proposição de indicadores referenciais

  • Variáveis de crescimento físico
  • Variáveis de composição corporal
  • Variáveis de desempenho motor

Capítulo 13 – Comparações com outros estudos

  • Variáveis de crescimento físico
  • Variáveis de composição corporal
  • Variáveis de desempenho motor

Capítulo 14 – Atendimento dos critérios de saúde

  • Proposição dos critérios de saúde
  • Desempenho motor
  • Composição corporal

Capítulo 15 – Considerações finais

 

  • Impact of behaviour determinants on overweight and obesity among Brazilian schoolchildren: Parana Health Program. In: Manuel J Coelho-e-Silva; Amândio Cupido-dos-Santos; António J. Figueiredo; José P. Ferreira; Neil Armstrong. (Org.). Children and Exercise XXVIII. 1ªed.London: Routledge, 2013, v. , p. 169-172.
  • Exercício físico e controle do peso corporal. In: Maria Isabel Mourão Carvalhal; Eduarda Maria Castro Coelho. (Org.). Obesidade Infantil e Atividade Física. 1ed.Curitiba, Paraná: Editora CRV, 2013, v. 1, p. 127-163.
  • Atividade física habitual e fatores associados em adolescentes brasileiros. In: Jorge Olímpio Bento; Go Tani; António Prista. (Org.). Desporto e Educação Física em Português. Porto, Portugal: Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, 2010, v. , p. 217-230.
  • Educação física escolar com ênfase à educação para a saúde. In: João Tojal. (Org.). Epistemologia da Educação Física. Lisboa: Instituto Piaget, 2010, v. , p. 143-157.
  • Avaliação da atividade física habitual. In: Italo Mota Soares. (Org.). Educação, Educação Física e Esportes. João Pessoa, PB: Ideia, 2009, v. , p. 59-75.
  • Avaliação da composição corporal mediante técnicas antropométricas. In: Julio Tirapegui; Sandra Maria Lima Ribeiro. (Org.). Avaliação Nutricional: Teoria e Prática. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan, 2009, v. , p. 44-62.
  • Atuação do professor de educação física no campo da saúde. In: Antonio Geraldo M G Pires; Anísio Calciolari Júnior; Tony Honorato. (Org.). Representações Sociais e Imaginário no Mundo Esportivo. Londrina, Paraná: Lazer & Sport, 2008, v. , p. 153-165.
  • Atividade física e cardiopatas. In: Rinaldo Bernardelli Júnior; Sonia Regina Leite Merége. (Org.). Atividade Física, Saúde e Educação - Perspectivas. Curitiba, Paraná: Editora Godoy Ltda, 2008, v. , p. 26-36.
  • Atividade Física e Saúde. In: António José Silva; Jaime Tolentino Miranda Neto; Maria Dolores Alves Ferreira Monteiro; Victor Machado Reis. (Org.). Medidas e Avaliação. 1ed.Montes Claros, Minas Gerais: Faculdades Unidas do Norte de Minas - FUNORTE, 2007, v. , p. 15-51.
  • Programas de educação física escolar com ênfase a educação para a saúde. In: Sergio Nascimento; Marcius Koehler. (Org.). A Educação Física e suas Amplitudes. Curitiba, Paraná: Federação das Associações dos Profissionais de Educação Física do Paraná, 2004, v. 1, p. 81-92.
  • Atuação do professor de educação física no campo da saúde. In: Eunice Lebre; Jorge Bento. (Org.). Professor de Educação Física: OFícios da Profissão. Porto, Portugal: Universidade do Porto, 2004, v. , p. 93-104.
  • Fundamentos e princípios pedagógicos da educação física: uma perpectiva no campo da educação para a saúde.. In: Suraya Cristina Darido; Edison Moraes Maitino. (Org.). Pedagogia Cidadã: Educação Física. São Paulo: Universidade Estadual Paulista - UNESP, 2004, v. , p. 33-42.
  • Atividade física e aptidão física em amostra de adolescentes brasileiros. In: António Prista; António Marques; Aspácia Madeira; Sílvio Saranga. (Org.). Actividade Física e Desporto: Fundamentos e Contextos. Porto, Portugal: Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física da Universidade do Porto, 2003, v. , p. 139-149.
  • Atividade física, aptidão física e saúde. In: Christi Noriko Sonoo; Celso Souza; Amauri Aparecido Bássoli de Oliveira. (Org.). Educação Física e Esportes: Os Novos Desafios da Formação Profissional. 1a.ed.Maringa, Pr.: Universidade Estadual de Maringá, 2002, v. , p. 49-83.
  • Abordagens quanto às relações atividade física, aptidão física e saúde. In: Wagner Wey Moreira; Regina Simões. (Org.). Fenômeno Esportivo no Início de um Novo Milênio. 1ed.Piracicaba, SP.: UNIMEP, 2000, v. 1, p. 123-135.
  • Implicações no estudo da composição corporal. In: Alberto Carlos Amadio; Valdir José Barbanti. (Org.). A Biodinâmica do Movimento Humano e suas Relações Interdisciplinares. 1ed.São Paulo, SP/: Estação Liberdade, Universidade de São Paulo, 2000, v. 1, p. 185-206.
  • Programas de Exercícios Físicos na Promoção da Saúde. In: Sandro Vidal. (Org.). Coletâneas de Autores - Uma Amtologia sobre Atividades Físicas. 1ed.Londrina - PR: MidioGraf, 1997, v. 1, p. 19-62.
  • Atividade Física, Aptidão Física e Saúde. In: Antonia Dalla Pria Bankoff. (Org.). Atividade Física e Saúde: Orientações Básicas sobre Atividade Física e Saúde para Profissionais das Áreas de Educação e Saúde. 1ed.Brasília - DF: Ministério da Saúde, 1995, v. 1, p. 51-55.
  • Prescrição e Orientação da Atividade Física Direcionada à Promoção da Saúde. In: Antonia Dalla Pria Bankoff. (Org.). Atividade Física e saúde: Orientações Básicas sobre Atividade Física e Saúde para Profissionais das Áreas de Educação e Saúde. 1ed.Brasília: Ministério da Saúde, 1995, v. 1, p. 57-64.
  • Aspectos Cineantropométricos no Treinamento de Futebolistas. In: Paulo Fernando Leite. (Org.). Aspectos Fisiológicos do Condicionamento Físico. 1ed.Rio de Janeiro: Sprint, 1987, v. 1, p. 118-166.
Total de artigos: 0
Ano Publicação Descrição Arquivo PDF